terça-feira, abril 3

Bandeira de Pequery



Bandeira hasteada em Pequery em 1841, num acampamento farroupilha, retangular com as listas dispostas em horizontal. Esta foi exposta varias vezes me Porto Alegre, atualmente é uma peça vinculada ao Museu Histórico Farroupilha.


As cores e seus significados

Os verdadeiros motivos, os reais significados, que levaram os autores da bandeira rio-grandense a adotarem as cores que ela ostenta, são completamente desconhecidos, o que existem são apenas suposições. Muitos analistas, através dos tempos, deram suas opiniões e cada um buscou fazer a colocação que melhor lhe parecia. Vejamos algumas:
Fernando Calage: “É a mais brasileira de todas as bandeiras estaduais, porque nenhuma traz o verde e o amarelo da bandeira nacional, aliado ao encarnado, que é a cor dos republicanos.”
Jornal “O Repúblico”, do Rio de Janeiro – 12/01/1837: “Os republicanos (farroupilhas) têm adotado um pavilhão tricolor, verde e amarelo nos extremos e encarnado no centro: lustra muito bem. Cremos que o verde é a esperança de manterem sua independência; o amarelo sinal de firmeza e resolução nos seus planos; o encarnado noticía que levarão o fogo a qualquer parte, que os pretenda incomodar.”
Walter Spalding: “As bases da flâmula brasileira são o verde e o amarelo. As da flâmula rio - grandense são também o verde e o amarelo. São, por tanto, bandeiras irmãs. E o encarnado? O encarnado não é mais do que o símbolo da República e da Federação.”
Mansueto Bernardi: “... o todo da bandeira identifica-se com o verde das nossas paisagens, com o ouro do solo que calcamos, com o vermelho do pudor que nos torna honrados e sempre prontos pela defesa dos nossos bríos”. Ainda de Mansueto Bernardi:
“ ... que a escolha das três cores rio-grandenses deve ser antes de ainda interpretada como um símbolo de fidelidade à pátria comum.”
Tanto Mansueto Bernardi quanto Apolinário Porto Alegre interpretaram as três cores rio-grandenses como um ato simbólico de fidelidade à pátria comum.
A atual bandeira do Rio Grande do Sul foi adotada como símbolo do Estado pela lei 5213, de 5 de janeiro de 1966, conservando as cores da bandeira primitiva, que surgiu em 1836, em plena Revolução Farroupilha .

Tipos de Bandeiras

A primeira bandeira tinha o formato quadrado não possuía armas (Brasão), os seus triângulos, verde e amarelo, eram isóceles e a faixa central vermelha era um hexágono. A bandeira primitiva sofreu algumas alterações, pois, quando do aparecimento das primeiras bandeiras confeccionadas com brasão, o seu formato foi modificado de quadrado para retângulo. A bandeira atual foi adotada pela lei 5213, e tem o seu formato retangular com medidas estabelecidas, pela mesma lei, em cento e quarenta módulos de largura por duzentos de comprimento. Estas medidas são calculadas na proporção de 14 x 20.

(Retirado do artigo Nossos Símbolos, Nosso Orgulho, Texto de Diego Cezar Molina, Manoelito Carlos Savaris, Ivo Benfatto, Edegar Pereira Barboza, Delizabete Seggiaro, Denise Gress, Eliane Dalpizol, Sandro Ferreira, Ivo Ladislau Janicsek, Carlos Henrique Bertoletti, Leandro Veloz Lopes, Liliana Cardoso, Eliane Rosa Bica, Alexandre Ourique e Odila Paese Savaris/ Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Floclore - IGTF)

10ª Semana Nacional de Museus